Como trazer seu noivo para os Estados Unidos

O visto para noivas

Você é um cidadão americano e você e seu(a) noivo(a) estão ambos livres para se casarem e têm se encontrado em pessoa há mais de dois anos.
­
Documentando a petição. A petição de noivo(a) e ­todos os documentos de suporte devem ser submetidos pelo noivo(a) cidadão(a) junto ao apropriado Centro de Serviço Regional do USCIS com jurisdição sobre a residência do peticionário(a). Isso normalmente é feito dentro dos Estados Unidos. As novas exigências estatutárias têm forçado os noivos(as) peticionários(as) a documentar instâncias onde o casal tenha se encontrado pelo curso dos dois anos precedentes. Tal prova poderia incluir cópias de bilhetes de viagens, carimbos em passaportes, fotos de casais juntos e declarações de terceiros que tenham conhecimento do(s) encontro(s). Prova da intenção de boa-fé para casamento poderia incluir cópias de correspondências ou contas de telefonemas de longa distância. Você poderia apresentar documentos em demasia nesses casos, porque o USCIS e oficiais consulares têm exigido mais provas para os requerentes do visto “K” que antes da nova lei.

Primeira Exceção À Exigência Do Encontro Prévio. Isenção Estabelecida Por Tradição Cultural. Ao passar a lei, o Congresso também estava atento de que em alguns países a prática dos casamentos combinados, não baseados em compromisso amoroso ainda estão em costume. Nesses países, hábitos estritos e longamente estabelecidos previnem casais de se encontrarem no período entre o arranjo do casamento e a data da cerimônia. Para acomodar essas situações, a lei permite que o Procurador Geral dispense a exigência de familiaridade “pela sua discreção”. Para satisfazer a primeira insenção, a petição deve mostrar que ambos, o encontro pessoal iria violar os costumes estabelecidos e que os outros aspectos dos arranjos de casamento tradicional serão seguidos. Nos casos de que o casal estaria seguindo práticas culturais ou sociais, eles submetiriam declarações de religiosos ou de apropriados oficiais atestando os detalhes desses arranjos tradicionais. Cartas de membros da família poderiam também ajudar a provar cumprimento de exigências que o casal não se encontre antes do casamento.

Segunda Exceção À Exigência Do Encontro Prévio. Exceção baseada em extrema dificuldade. Outra exceção está disponível para aqueles que iriam enfrentar extrema dificuldade se forçados a cumprir com essa exigência. Se o peticionário estiver declarando extrema dificuldade, ele(a) deveria submeter todas as provas de suporte. Isso poderia incluir prova de afinidade antes do período de dois anos; problemas políticos previnindo a viagem ao país do(a) noivo(a); problemas previnindo o(a) noivo(a) em deixar o país natal e viajar aos Estados Unidos; barreiras financeiras; ou problemas médicos que tenham afetado a locomoção de uma das partes. O regulamento não oferece orientação em definir o termo “extrema dificuldade” sob a segunda opção para dispensa. De fato, existe pouca orientação nos regulamentos do estatuto ou história legislativa, como quais os fatores que o USCIS deveria considerar em conceder isenções sob qualquer um dos dois fundamentos. Como resultado, os peticionários deveriam providenciar o quanto mais documentos possíveis para mostrar um intento de boa-fé para se casar e qualificação para uma isenção solicitada. Existem muitas situações onde as partes poderiam apresentar uma legítima dificuldade que os tenha incapacitado de verem-se durante o período de dois anos. Os casos mais comuns onde os casais tenham se encontrado e mantido um relacionamento à longa distância, mas devido à razões financeiras, políticas ou médicas têm sido incapazes de se encontrarem durante os dois anos precedentes.

Intenção de se casar dentro de 90 dias. Você e seu(a) noivo(a) pretendem se casar dentro de 90 dias a partir da entrada aos Estados Unidos.

Procedimento após a entrada dentro dos Estados Unidos.

O seu noivo(a) estrangeiro pode solicitar o status de residente permanente condicional depois que você tenha se comprometido mutuamente para um válido casamento dentro de noventa dias da entrada do seu(a) noivo(a) aos Estados Unidos. O seu cônjuge deveria requerer prontamente pelo ajuste de status de residente permanente condicional junto ao Serviço de Imigração usando o formulário I-485. Ele(a) será um residente permanente condicional por um período de dois anos que começa da data que ele(a) se ajuste ao status condicional. Os direitos, privilégios, responsabilidades e deveres que se aplicam a todos os outros residentes permanentes aplicam-se igualmente a um residente permanente condicional. Por exemplo, um residente permanente condicional tem o direito de candidatar-se à naturalização, sob certas condições, para submeter petições a favor de parentes qualificados, ou para residir permanentemente nos Estados Unidos como imigrante de acôrdo com as leis de imigração.

Ambos, você e seu cônjuge residente permante condicional são exigidos a submeter uma petição, Formulário I-751, Petição em Conjunto para Remover A Situação Condicional do Status de Residente Permanente do Estrangeiro, durante o periodo de noventa dias imediatamente antes do segundo aniversário da data que o seu cônjuge estrangeiro tenha obtido a residência permanente. Filhos que tenham sido admitidos como residentes permanentes condicionais podem ser incluidos na petição conjunta para remover as condições.

Saiba mais sobre vistos para noivos

Leia mais

Quem pode ser deportado?

Quem pode ser removido?

September 2, 2014 -Desde a aprovaçao do AEDPA (Ato Legislativo sobre Anti-Terrorismo e Pena de Morte Efetiva) e o IIRAIRA (Ato Legislativo sobre a Reforma da Imigraçao e Responsabilidade do Imigrante), ambos, em 1996, deportaçoes de estrangeiros cresceram dramaticamente. É um falso conceito acreditar que apenas criminais perigosos sao deportados, mas esse conceito é completamente errado. Está errado devido r dura provisao das leis de 1996, mesmo pequenas infraçoes pódem levar alguém a ser deportado dos Estados Unidos, nao importa quanto tempo ele tenha sido residente permanente legal. Tudo depende das palavras de particulares estatutos violados, furtos em estabelecimentos comerciais, conduzir automóvel em estado de embriaguez, “joy-riding”, conduta desprovável, etc. Qualquer uma dessas condenaçoes , em algumas situaçoes, pódem ser usadas como fundamento para deportaçao. O mais incrível, na maioria dos casos importa há quanto atrás o ato tenha acontecido. Voce póde ter tido cometido furto há dezoito anos atrás. Por outro lado, a lei também permite deportaçao de crimes graves. O problema é que a terminologia “crime grave” é definida diferentemente e muito mais abrangente sob quaisquer leis de imigraçao anteriores que sob a lei penal. A maioria das pessoas nao acreditariam que o que poderia ter sido um crime grave ou mesmo um ato deportável sob as leis de imigraçao ao tempo da condenaçao, póde ser um crime. Se o INS sucede em provar que um estrangeiro é um “criminoso perigoso” sob as leis de imigraçao, ele é deixado praticamente sem opçoes para evitar a deportaçao. Agora note que qualquer violaçao do seu status nos Estados Unidos póde potencialmente resultar em ser colocado em processo de remoçao. Essas violaçoes incluem entrada aos Estados Unidos sem inspeçao, documento apropriado ou através de fraude, re-entrada imprópria após deportaçao, falha em manter o status de nao-imigrante, condenaçao por crime envolvendo baixa moral, condenamento por crime grave, envolvimento em prostituiçao, tornar-se institucionalizado rs custas de públicas dentro dos cinco anos da entrada, tornar-se um encargo público dentro dos cinco anos da entrada, falha em obter residencia permanente após a concessao do Green Card Condicional através de casamento com cidadaao americano ou residente permanente em situaçao legal, vicio em narcóticos ou violaçao rs leis relacionadas as substâncias controladas, assistencia a outro estrangeiro a entrar nos Estados Unidos, condenamento por possessao de arma automática ou semi-automática.

Um encargo de deportaçao é normalmente seguido de uma ordem de exposiçao da causa, a qual exige que o estrangeiro compareça perante um juiz e demonstre porque ele nao deveria ser deportado. Os novos casos se iniciam com a Notificaçao para Comparecimento e o estrangeiro é trazido a frente do Juiz para determinar se ele deveria ser removido dos Estados Unidos.

Leia mais

Quem um cidadao America nao pode patrocinar

New York - September 2, 2014

A favor de quem o cidadão americano
não pode requerer?

  1. Filhos adotados, caso a adoção tenha acontecido depois de a criança atingir os 16 anos de idade, ou se a criança não estiver sob custódia legal e vivendo com o(s) pai(s) por pelo menos dois anos.
  2. Enteados, se o casamento que tenha criado a afinidade tenha ocorrido depois de a criança atingir os 18 anos de idade.
  3. Filhos que estejam sob exclusão, deportação, rescisão ou prcedimentos judiciais com respeito ao seu direito de oermanecer nos Estados Unidos. Será necessário contatar um advogado.
  4. Filhos, caso o Procurador Geral tenha determinado que tais indivíduos, no passado tenham atententado ou conspirado engajar-se em casamento com o propósito de evadir as leis de imigração.

Quando um filho(a) não pode requerer dentro dos Estados Unidos?

Filhos(as) não são qualificados caso o seguinte se aplique:

 

  • entrada aos Estados Unidos em trânsito sem um visto (visto C) – a menos que exista prova de que uma petição prévia tenha sido submetida a seu favor antes de 30/04/01;
  • entrada aos Estados Unidos como tripulante não-imigrante (visto D) – a menos exista prova de que uma petição prévia tenha sido submetida a seu favor antes de 30/04/01;
  • admissão ou liberdade condicional seguido de inspeção pelo oficial de imigração - a menos que exista prova de que uma petição prévia tenha sido submetida a seu favor antes de 30/04/01;
  • visita de intercâmbio: J-1 ou J-2: com sujeição aos dois anos de residência fora; o não cumprimento ou concessão da dispensa de tal exigência;
  • status não-imigrante A, E ou G, ou com ocupação que permita obter tal status, a menos que preencha o formulário I-508 (I-508F para os indivíduos de nacionalidade francesa) para dispensar direitos diplomáticos, privilégios e imunidades, se não-imigrante A ou G, a menos submeta um formulário I-566 preenchido.
  • Admissão em Guam como visitante sob o programa de dispensa de visto para Guam - a menos que exista prova de que uma petição prévia tenha sido submetida a seu favor antes de 30/04/01;
  • Presença ilegal por seis ou doze meses depois de 1 de abril de 1997, com subsequente saida dos Estados Unidos e que atual busca pela admissão através do ajuste de status. Tal indivíduo estaria sujeito ao período de três anos de espera; ao período é de dez anos se estiver ilegalmente presente por um ano depois de 1 de abril de 1997. Essa seção apenas se aplica ao tempo de estadia extra seguido do 18o aniversário do indivíduo. Existe uma dispensa disponível atualmente para filhos de cidadãos americanos. Isso não se aplica caso exista prova de que uma petição prévia tenha sido submetida a seu favor antes de 30/04/01;

Tais pessoas estariam sujeitas ao período de espera de três anos; o período é de dez anos para aqueles que estejam ilegalmente presentes por ano depois de 1 de abril de 1997. Não existe dispensa atualmente disponível para o pais de cidadãos americanos ou residentes permanentes.

Quando filhos podem requerer dentro dos Estados Unidos mesmo que tenham entrado ilegalmente?

A seção 245(i) da lei de imigração permite a certos indivíduos o pagamento de $1.000.00 de penalidade para evitar de ter de viajar para fora para obter o Green Card. Essas pessoas assim sendo, não estão sujeitas aos períodos de 3-10 anos de impedimento para a re-entrada. A fim de se qualificar para requerer com fundamento na seção 245(i), um requerente deveria mostrar prova de que uma petição tenha sido submetida a seu favor tanto junto ao Serviço de Imigração e Naturalização ou Departamento do Trabalho antes de 30 de abril de 2001. O candidato poderia ter sido o requerente do membro de uma família do peticionário (cônjuge e filhos abaixo de 21 anos de idade. A petição não precisaria ter sido necessariamente aprovada, mas não poderia ter sido negada por uma má razão, tal como fraude ou que o caso tenha sido perdido em seus meritos. Os casos comuns que podem ainda usar a seção 245(i) são petições de famílias e certificações de trabalho submetidas junto ao Departamento do Trabalho antes de 30/04/01.

O que acontece se o período de estadia do filho(a) estrangeiro tenha se expirado e ele(a) tenha trabalhado ilegalmente nos Estados Unidos?

Em muitos dos casos, se o período de estadia se expirou antes de se submeter essa petição, ou o estrangeiro tenha sido empregado nos Estados Unidos anteriormente à submissão dessa petição, sem a autorização do INS, ou se ele(a) de outra forma tenha falhado em manter o status de não-imigrante, a petição seria negada, com exceção de que haja um especial provimento onde as leis de imigração intitulem os filhos de cidadãos americanos, se de outra forma qualificados, a ainda receberem seus Green Cards dentro dos Estados Unidos.

O que acontece se o pai/mãe estiver também submetendo uma petição baseada em casamento com um cidadão(a) americano(a)?

Geralmente, ambas as petições podem ser submetidas juntas no mesmo envelope. Assegure-se de que a carta-cobertura indique que você está também requerendo a favor de um filho(a). Desta forma, os dois podem comparecer à entrevista na mesma data.

O período de 3 e 10 anos de impedimento de re-entrada aos Estados Unidos

O Ato Legislativo de 1996 sobre a Reforma na Imigração Ilegal e Responsabilidade do Imigrante é a legislação mais restritiva na história atual. Sob essa dura lei, a maioria das pessoas que tenham permanecido ilegalmente nos Estados Unidos por mais de 6 meses e tenham viajado fora do pais, estão desqualificadas para obter o Green Card por um período de 3 anos. Permanecer dentro dos Estados Unidos ilegalmente acima de um ano seguido de viagem para fora do país resulta em um impedimento por dez anos para recebimento do Green Card. A lei não permite que o Procurador Geral conceda uma dispensa (perdão) em casos envolvendo cônjuges e filhos de cidadãos americanos e residentes. Mas até a presente data, existe uma falta de regulamentos e procedimentos para se submetar tal dispensa, nem existe nenhum padrão geral e consistente que o INS aplique quando decidir se ou não conceder tal dispensa. Essa lei não se aplica às seguintes pessoas:

1. Filhos abaixo de 18 anos de idade;

2. Filhos de cônjuge (abaixo de 21 anos de idade) e pais que tenham entrado com visto;

3. A maioria das pessoas que tenham submetido um caso junto ao Departamento do Trabalho ou Departamento de Imigração e Naturalização para Residência Permanente antes de 30 de abril de 2001.

Caso você se enquadre nesse grupo, você deveria assegurar-se em consultar um advogado licenciado e com experiência em assuntos de imigração dos Estados Unidos. Uma estratégia apropriada deve ser aplicada nesses casos.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

O primeiro passo em estabelecer a sua qualificação para imigrar aos Estados Unidos é submeter sua Petição Para Visto de Imigrante junto ao Serviço de Imigração e Naturalização tendo a jurisdição sobre o seu lugar de residência. Se você e o cônjuge americano (peticionário) residiram fora do pais antes da morte e você estiver fora, a petição pode ser enviada junto a um Posto Consular dos Estados Unidos. A prova de residência nesse país é exigida. Caso a petição seja aprovada, o INS mandará a petição aprovada ao Departamento de Vistos de Imigração junto à Embaixada para futuros processamentos do visto.

Se você reside fora e o seu cônjuge cidadão americano residiu nos Estados Unidos antes da morte você deveria submeter uma petição junto ao escritório do INS com jurisdição sobre o lugar de residência nos Estados Unidos. O processamento pode levar diversos meses. O INS mandará a petição aprovada ao NVC ( Centro Nacional de Vistos) para futuro processamento. O endereço do NVC é: 32 Rochester Avenue – Portsmouth, New Hampshire 03801-2909. O telephone publico para perguntas é: (603) 334-0700.

O NVC lhe enviará um pacote para ser preparado. Esse pacote contém todas as informações vitais necessárias para aprovar o Visto Permamente (Green Card). Você mandará o pacote preenchido ao Consulado dos Estados Unidos onde o seu cônjuge reside.

O Consulado dos Estados Unidos o notificará sobre a data da entrevista e os endereços para o exame médico e impressões digitais.

Leia mais

Preservando o seu Green Card durante viagens para exterior

August 27, 2014 - New York - Poderia acontecer a qualquer um. Uma emergência de família e você está viajando de volta para casa para estar junto de seus parentes. A viagem deveria ser rápida, mas uma situação levou à uma outra e você está obrigado a permanecer fora dos Estados Unidos por mais de um ano. E, quando você retorna e menos espera, você se encontra numa posição que talvez custe o seu Green Card. A viagem ternima com uma notificação assustadora assim que você entra nos Estados Unidos. Um administrador do USCIS (Serviço de Imigração) diz que você abandonou o seu status de residência permanente legal (LPR) e o manda para enfrentar um juíz, o qual irá decidir se você irá manter o seu green card.

Enquanto uma ausência prolongada por sí só não é uma razão boa o suficiente para se revogar a residência permamente, é um fator que o USCIS considera muito importante. Assim sendo, quando planejar uma longa viagem ao exterior, é necessário planejar com antecedência para evitar o status de abandono.

 

Dentre os vários fatores que influenciam a decisão sobre o abandono são a prolongação e a razão da ausência assim como um número e tipo de conexões que você mantém nos Estados Unidos. Existem muitos passos que você pode tomar para mostrar a sua intenção para manter o seu status dentro dos Estados Unidos.

 

É um entendimento comumente errôneo que uma visita para os Estados Unidos todos os anos irá preservar o status LPR (Legal Permanente Resident). Enquanto um LPR (Residente Permaneten Legal) precisa apenas do green card para entrar nos Estados Unidos depois de uma ausência de menos de um ano, isso não é o suficiente para mostrar o requisito da intenção para permanecer como residente dos Estados Unidos. O LPR deve tomar passos adicionais para preservar o seu status.

 

Um fator muito importante para preservar a residência permanente é continuar a declarar os impostos de rendimentos nos Estados Unidos. Devido às leis internacionais de tributação, na maioria dos casos, não haverá imposto devido ao governo dos Estados Unidos. Deixar de submeter a declaração dos rendimentos, por outro lado, é quase sempre considerado um sinal de que o status LPR tenha sido abandonado. As contas bancárias também exercem um papel importante em fazer a manutenção de uma conta bancária praticamente uma exigência. Os cartões de crédito são também um fator a se considerar. Todo LPR deveria manter um cartão de crédito americano. Essas contas deveriam se manter tão ativas o quanto possível. Por xemplo, se o LPR é empregado no exterior, o salário deveria ser depositado na conta dentro dos Estados Unidos. O LPR deveria continuar a renovar sua carteira de motorista americana. A propriedade de bem imóvel também ajuda em se estabelecer o requisito de conexão com os Estados Unidos.

 

Se a ausência do LPR é devida a emprego, uma carta do empregador detalhando os termos e tempo de trabalho é muito importante. Se a ausência é devida por razões de família ou pessoais, a prova de enfermidade deveria ser obtida. Essas razões são, entretanto, fáceis de serem elaboradas, assim sendo, a boa documentação é o mais importante.

 

Se você sober por certo que estará fora do país por mais de um ano, uma permissão para a re-entrada é aconselhável, (Formulário I-131). Entretanto, muitos desses mesmos fatores estão envolvidos na decisão sobre emitir-se tal permissão e mesmo com uma permissão de re-entrada o LPR pode ainda ainda ser considerado pelo status de abandono.

 

É importante que o LPR viajando para o exterior por um periodo prolongado esteja preparado para socumentar a sua intenção em permanecer um residente dos Estados se questionado pela imigração ou por oficiais do consulado. É prudente portar cópias de documentos relevantes num único local que possa ser facilmente apresentável aos oficiais. Dentre esses documentos devem estar cópias das declarações dos impostos, escrituras mostrando propriedade de bens imóveis, extratos de atividade de contas bancárias, cartas importantes de empregadores, e cartas explicando o propósito da ausência prolongada.

 

Um embargo - O Congresso mudou a lei há alguns anos atrás para julgar que os residentes permanentes que tenham deixado os Estados Unidos por mais de seis meses podem ser considerados inadmissíveis se houver algo em seus antecedentes agora que os impediria de obter um green card. Isso pode acontecer se você tiver sido condenado por um crime antes das mudanças nas leis de imigração ocorrendo em 1997. Assim sendo, é imperativo que todos com uma condenação anterior deveriam consultar um advogado antes de viajar.

 

Aos demais: “Boa Viagem!”

Leia mais

Quem pode ser deportado em 2014?

August 26, 2014 - New York - Desde a aprovaçao do AEDPA (Ato Legislativo sobre Anti-Terrorismo e Pena de Morte Efetiva) e o IIRAIRA (Ato Legislativo sobre a Reforma da Imigraçao e Responsabilidade do Imigrante), ambos, em 1996, deportaçoes de estrangeiros cresceram dramaticamente. É um falso conceito acreditar que apenas criminais perigosos sao deportados, mas esse conceito é completamente errado. Está errado devido r dura provisao das leis de 1996, mesmo pequenas infraçoes pódem levar alguém a ser deportado dos Estados Unidos, nao importa quanto tempo ele tenha sido residente permanente legal. Tudo depende das palavras de particulares estatutos violados, furtos em estabelecimentos comerciais, conduzir automóvel em estado de embriaguez, “joy-riding”, conduta desprovável, etc. Qualquer uma dessas condenaçoes , em algumas situaçoes, pódem ser usadas como fundamento para deportaçao. O mais incrível, na maioria dos casos importa há quanto atrás o ato tenha acontecido. Voce póde ter tido cometido furto há dezoito anos atrás. Por outro lado, a lei também permite deportaçao de crimes graves.

O problema é que a terminologia “crime grave” é definida diferentemente e muito mais abrangente sob quaisquer leis de imigraçao anteriores que sob a lei penal. A maioria das pessoas nao acreditariam que o que poderia ter sido um crime grave ou mesmo um ato deportável sob as leis de imigraçao ao tempo da condenaçao, póde ser um crime. Se o INS sucede em provar que um estrangeiro é um “criminoso perigoso” sob as leis de imigraçao, ele é deixado praticamente sem opçoes para evitar a deportaçao. Agora note que qualquer violaçao do seu status nos Estados Unidos póde potencialmente resultar em ser colocado em processo de remoçao. Essas violaçoes incluem entrada aos Estados Unidos sem inspeçao, documento apropriado ou através de fraude, re-entrada imprópria após deportaçao, falha em manter o status de nao-imigrante, condenaçao por crime envolvendo baixa moral, condenamento por crime grave, envolvimento em prostituiçao, tornar-se institucionalizado rs custas de públicas dentro dos cinco anos da entrada, tornar-se um encargo público dentro dos cinco anos da entrada, falha em obter residencia permanente após a concessao do Green Card Condicional através de casamento com cidadaao americano ou residente permanente em situaçao legal, vicio em narcóticos ou violaçao rs leis relacionadas as substâncias controladas, assistencia a outro estrangeiro a entrar nos Estados Unidos, condenamento por possessao de arma automática ou semi-automática.

Um encargo de deportaçao é normalmente seguido de uma ordem de exposiçao da causa, a qual exige que o estrangeiro compareça perante um juiz e demonstre porque ele nao deveria ser deportado. Os novos casos se iniciam com a Notificaçao para Comparecimento e o estrangeiro é trazido a frente do Juiz para determinar se ele deveria ser removido dos Estados Unidos.

 

Saiba Mais

Leia mais

Videos