Moedas virtuais X Marketing Multinivel - MonyEuro

Depois do fechamento da Paymony, onde um circo foi organizado com brigas entre sócios, milhares de investidores ainda acreditam que as moedas virtuais são uma boa forma de ganhar dinheiro.
Ontem, assisti a um vídeo onde um ex-mineirador da moeda paymony criou a sua própria moeda, estipulou um preço de mercado de 50 euros e já está fazendo a cabeça de muitos por aí. Criou-se a Monyeuro !
Como assim 50 euros ? No caso da Bitcoin, moeda conhecida mundialmente a primeira vez utilizada foi a compra de uma pizza por 10.000 bitcoins.

Mas porque 10.000 bitcoins compravam apenas uma pizza ? Simples, porque a moeda virtual não existe valor até que o “mercado” comece a valoriza-la, com a procura. Hoje, o preço de cada Bitcoin está em torno de 650 dólares, pouco mais da metade do que valia em novembro do ano passado.
Profissionais do Marketing de Rede estão sempre procurando algo que seja utilizado como “produto” de sua empresa, e por vários anos foram utilizados voip, por não precisarem de estoque e com infinito números de números voip que podem ser criados sem custo algum. No caso da moeda, ainda é mais fácil, pois se cria um “produto”, que não é utilizado, mas pode ser valorizado.

O que são as moedas virtuais ?
Todas as moedas, inclusive as “reais”, são um título de posse, onde se pode comprar algo com elas. Trocar, comprar e vender transformando estes títulos em algo que queremos comprar. No caso das moedas virtuais, elas são criadas através de um esforço repetitivo de opearções matemáticas, que quando completados com sucesso, um novo grupo de moedas são criados. Quanto mais difícil é a operação matemática, mais difícil é sua extração.

Quanto custa minerar moedas ?
Não custa nada, qualquer um pode colocar seu computador para minerar moedas virtuais, mas com a complexidade das moedas atuais, o resultado é tão pequeno, que na maioria das vezes se gasta mais dinheiro do que se ganha. Voce precisa de um super-computador com placas dedicadas para conseguir ganhar dinheiro minerando.

Onde entram as moedas virtuais para o Marketing Multinível ?
Combinação perfeita, um produto inventado, muita promessa, pouca ou nenhuma documentação e milhares de zumbis pagando para ter a oportunidade de passar o golpe adiante e ganhar algum dinheiro. Estas empresas mal esperam o website ficar pronto para começarem a se organizar na hierarquia feudal. Não existe documentação, pouco ou nada se fala da parte técnica, e a medida que o dinheiro vai entrando, novos produtos vão aparecendo legitimizando o esquema.

É pirâmide ?
Não. É golpe ! Estão vendendo um bônus criado pela própria empresa, que a valorização vai crescer enquanto mais pessoas se aderem ao negócio.
Claramente estas pessoas já não se preocupam em criar empresas com C.N.P.J ou sede em um país onde existe uma regulamentação e sempre são criadas em paraísos fiscais como HongKong ou algum país da Europa.

Vale a pena entrar ?
Sim, se você está no início, e não se preocupa em colocar gente no mercado que vai perder dinheiro. Se você tem pessoas que podem ser influenciadas a entrarem e perderem o dinheiro investido e isso não é problema para você. Você dificilmente vai pegar cadeia, pois você é simplesmente um divulgador, e se em último caso você também perder seu dinheiro, sempre existe alguma outra que você pode entrar e recuperar o dinheiro que perdeu na primeira e começar o ciclo novamente.

Dica do dia: Se alguém lhe oferecer um óculos sem lentes, fique esperto: é armação.

Leia mais

ATENDIMENTO AOS ADVOGADOS PARA OBTENÇÃO DE VISTO AOS EUA

Brasilia - Começo funcionar o serviço de atendimento eorientação aos advogados e estagiários inscritos na OAB SP, que desejarem obter visto para os Estados Unidos, graças a um Termo de Cooperação firmado entre a OAB SP, a CAASP e o Consulado norte-americano no último dia 19 de maio.

O serviço funcionará no prédio sede da Caixa – Rua Benjamin Constant, 75, 2◦ andar), no horário comercial.

Diretores da OAB SP, CAASP e Consulado assinam Termo de Cooperação

"Este processo de reunir documentos, preencher relatórios e marcar a entrevista é bastante trabalhoso, burocrático e essa parceria irá facilitar e agilizar esse processo, porque funcionários da Ordem/Caixa fora treinados pelo Consulado americano para dar essa assistência, ressalta o presidente da OAB SP, Luiz Flávio Borges D´Urso.

Para o presidente da Ordem, essa parceria chega em bom momento, uma vez que Brasil e Estados Unidos retomaram, recentemente, a emissão de vistos com validade de 10 anos para viagens de turismo e negócios. “

 

Dessa forma, estamos oferecendo mais um serviço à advocacia do nosso estado de São Paulo”, completa D´Urso. Para Fábio Romeu Canton Filho, presidente da CAASP, trata-se de uma parceria histórica, que vem ao encontro do nosso plano de gestão, ou seja, o de ampliar a estrutura já existente e criar novos serviços, afirma ,ressaltando que espera uma demanda bastante expressiva por parte dos colegas.

Segundo Michael Solberg, chefe da Unidade de vistos do Consulado norte-americano, a parceria visa orientar os advogados, tirar dúvidas e facilitar o processo na obtenção do visto americano por meio de funcionários da OABSP/CAASP treinados pelo Consulado, sendo que somente a entrevista terá de ser feita na sede consular.

David Meron, chefe da Secção Consular, explica que o foco do Consulado norte-americano vem sendo a melhoria do atendimento às entidades. “  

Essa parceria será frutífera para os EUA e para a OAB SP, até pela dimensão da entidade, ressalta.

A idéia da parceria com o Consulado norte-americano surgiu do diretor da CAASP, Anis Kfouri Júnior, e foi viabilizada institucionalmente pelo presidente da Comissão de Relações Internacionais da OAB SP e assessor para assuntos institucionais da CAASP, George Niaradi.

Os advogados, estagiários e familiares também não precisão se preocupar com o envio da documentação ao Consulado, que será providenciada pela Caixa. A partir de 4 de junho, o valor de solicitação de visto de turista para os EUA passa a ser de US$140.

O presidente D´Urso espera ampliar a parceria com o Consulado norte-americano e colocou a OAB SP à disposiçã de estudantes norte-americanos que estejam interessados em conhecer como atua o sistema jurídico brasileiro e matérias legais.

Leia mais

Paymony desaparece da internet e deixa milhares ricos em e-mony

Semana difícil para quem investiu na empresa Paymony. A empresa já não tem seu website a mais de 2 semanas e pagamentos estão longe de serem ajustados.
Uma briga entre os diretores da empresa levaram milhares de pessoas a serem prejudicadas. Líderes já estão postando vídeos na internet e em rede social com seus descontentamentos sobre como a empresa está lidando com problemas internos.

O resultado disso tudo, todos nós já sabemos. O dinheiro já está longe, na mão dos 3 responsáveis pelo projeto, Marcus França Bonfim, Rafael Targino e Anderson Mota Lima.

Nota sobre a empresa:
1) A moeda virtual, e-mony divulgada não existe. Ela só vale entre os que investiram na empresa e não tem valor comercial, apesar de vídeos de Marcus França mostrando pagamento de contas com ela, o que se estava usando é um cartão de débito com depósitos em dólares.
2) O mineirador não executa nenhuma tarefa de mineiração, é a mentira mais deslavada entre todos os golpes de pirâmide que já existiram. Não existe sentido, um software minerar moedas da própria empresa.
3) O uso do Bitcoin é largamente utilizado para confundir, se passando por um processo legítimo de moedas virtuais.
4) A empresa ANDPRY, INC. não existe fisicamente em nenhum lugar do mundo, foi fechada espontaneamente nos Estados Unidos para não ser processada pelo SEC.
5) Website fora do ar, sem back-office e o canal oficial de divugação www.tvdiferente.com.br desabilitado ou suspenso.

Piramideiros profissionais estão sempre a procura de tendências no mundo para se montar um golpe onde milhares de pessoas colocam seus investimentos. Já usaram Voip, domínios na internet e agora moedas virtuais. Na verdade estas empresas não dispoem de tecnologia alguma, um golpe aplicado.

Dizer que a Paymony é pirâmide financeira, fica até difícil, é claramente um golpe aplicado por estelionatários da rede. Uma quadrilha que recruta divulgadores inocentes e alguns já não tão inocentes para dar um “ar” de honestidade em um projeto que usa o nome de Marketing Multinível para se concretizar.

Fica difícil imaginar a argumentação de quem defende o Marketing Multinível como forma de trabalho, se todas as empresas envolvidas na regulamentação da lei estão sob alguma forma de problemas. Telexfree tem seu dono Wanzeler foragido dos Estados Unidos e a empresa fechada, BBOM investigada, Paymony parada sem site ou back-office, bem como outras 20 e tantas empresas só de fachada com problemas financeiros.

Leia mais

Paymony passa por problemas internos e fecha site e deixa mineiradores na mão

Semana atordoada para pessoas que investiram na empresa Paymony. O auto aclamado presidente Marcus França foi para a parede quando donos da empresa resolveram mostrar as garras. O resultado da briga foi uma vergonha para a empresa, que não passa de um calote generalizado.

Pessoas começaram a vender suas moedas (que já não valiam nada) e ninguém conseguia. Marcus França em vídeo ameaçou de expulsão quem vendesse a moeda por um valor diferente à aquele que a empresa impôs.
As trades já não pagam a mais de uma semana, e nesta quinta feira o site saiu do ar novamente.
Certamente, esses picaretas vão inventar algo e dizer que foram traídos, da mesma forma que fizeram com a Telexfree. Basta esperar para ver.

Leia mais

Ordens do Executivo – Ferramenta do Presidente para Reforma Abrangente da Imigracao

June 4, 2014 - É possível uma ordem executiva prestar socorro imediato a determinadas disposições das leis draconianas em vigor daimigração, mesmo enquanto se espera por uma reforma abrangente da imigração? Vamos dar uma olhada na Ordem Executiva e seu poder.

Em janeiro, o presidente Barack Obama abordando medidas tomadas pelo Senado, afirmou que iria avançar com planos de criar uma comissão para reduzir o déficit orçamentário federal. "Ontem, o Senado bloqueou um projeto de lei que criou esta comissão. Então, vou emitir uma ordem executiva que nos permitirá ir adiante, porque recuso-me a passar este problema para outra geração de americanos. "

No dia 3 de Julho de 2002, o presidente George W. Bush assinou a Ordem Executiva (EO) 13269. A Ordem Executiva acelerou a naturalização de soldados na ativa, tornando-os imediatamente elegíveis para solicitar a naturalização. Para aqueles soldados estavam recém-casados também estendeu a seus cônjuges o status condicional (Green Card) para um ano, e em prorrogaçãode seis meses depois, até o retorno de seus cônjuges do exterior.

O que é uma Ordem Executiva?

"As EOs têm sido utilizadas para manipular as agências federais em direções contrárias às intenções do Congresso.”

Executive Orders (EOs) são ordens legalmente vinculadasmandadas pelo Presidente, na qualidade de chefe do Poder Executivo, para as Agências Federais de Aministração. Geralmente as EOs são utilizadas para orientar as agências federais e funcionários na sua execução de leis e regras estabelecidas pelo Congresso. No entanto, tem havido muitos casos que as EOs têm sido usadas para manipular as agências federais em direções contrárias às intenções do Congresso.

As Eos são muito poderosas. Não necessitam de aprovação do Congresso para ter efeito, mas eles têm o mesmo peso jurídico de leis aprovadas pelo Congresso. O Presidente fonte de autoridade para emitir ordens executivas podem ser encontradas no Artigo II, Seção 1 da Constituição que concede ao presidente o "Poder Executivo". A Seção 3 do artigo II vai mais longe e dirige o presidente a "tomar cuidado para que as leis sejam fielmente executadas." Para implementar ou executar as leis do país, os presidentes dão sentido e orientação para as agências e departamentos do Poder Executivo, muitas vezes sob a forma de ordens executivas.

Uma Breve História e exemplos

Desde os tempos de George Washington, as ordens executivas têm sido utilizadas por todos os chefes-. A maioria deists mandados não foram publicados e só foram vistos pelos órgãos específicos envolvidos. Não foi até o início de 1900, que o Departamento de Estado começou a numeração dessas ordens. Agora existem mais de 13.000 ordens numeradas. Todas as ordens executivas novas são facilmente acessíveis no Quadro de Disposição de Ordem Executiva.

Através da história, estas EOs têm sido utilizadas para fazer mudanças políticas importantes. Em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, o presidente Franklin D. Roosevelt assinou uma OE que forneceu transporte, alimentação, abrigo e outras acomodações para as crianças deslocadas pela máquina de guerra nazista. Em 1948, o Presidente Harry S Truman assinou a Ordem Executiva 998, que eliminou a segregação e discriminação racial nos serviços militares e em emprego federal. O Presidente Eisenhower usou um OE para desagregar escolas. OsPresidentes Kennedy e Johnson usaram para barrardiscriminação racial na habitação federal, em recrutamento e na contratação. O Presidente Reagan usou uma EO para barrar o uso de verbas federais para defender o aborto. O presidente Clinton reverteu essa ordem quando ele entrou no escritório. Em 2003, o presidente, George W. Bush assinou uma ordem executiva que retardou a liberação de milhões de documentos governamentais, tornando mais fácil para os presidentes e suas administrações para manteros registros históricos de forma secreta.

É muito claro, através da história, que o Presidente dos Estados Unidos pode emitir ordens executivas em matéria de imigração. Mesmo os executivos locais podem emitir um Ato Executivo.

Em 17 de setembro de 2003 o prefeito Michael Bloomberg assinou uma ordem executiva que proíbe as agências de New York City, incluindo o New York City Police Department [NYPD] de investigar o status de imigração de indivíduos e de compartilhar essas informações com as agências federais. Esta EO substituiu uma lei anterior que deu ao NYPD o direito de solicitar a qualquer pessoa, incluindo as testemunhas e vítimas de crimes, o seu statusde imigração, e também tinha o direito de divulgar as informações às autoridades federais.

O processo

O processo pode ser rápido e não precisa de qualquer envolvimento com o Congresso ou o Poder Judiciário do governo. Você não verá um debate público antes da assinatura de uma OE. Quando o presidente assina uma ordem executiva, ela é enviada para o Escritório do Registro Federal. As ordens executivas e outros documentos presidenciais aparecem pela primeira vez no Federal Register. As ordens executivas do atual presidente também têm sido publicadas na página web da Casa Branca.

A  da Ordem Executiva

Uma Ordem Executiva permite o presidente a criar mesmo uma lei, sem o consentimento do Congresso. Esse poder parece correr contra o conceito básico constitucional da "Separação de Poderes." Entretanto, historicamente, o Congresso tem dado ao presidente espaço considerável para implementar e administrar a legislação federal e programas. Há momentos em que o Congresso é incapaz de concordar sobre a forma de aplicar uma lei ou um programa e deixa as decisões com as agências envolvidas. Essas agências são controladas pelo presidente. Sempre que o Congresso não faz claro sobre como a lei está a ser implementada, ele deixa uma abertura para o presidente assumir, na forma de uma Ordem Executiva..

O que Congresso pode fazer se discordar

Se o Congresso não está satisfeito com o que o presidente está a fazer, tem a opção de re-escrever a lei e detalharcomo o Poder Executivo deve atuar. No entanto, o presidente pode vetar o projeto de lei, deixando apenas a opção do Congresso para votação de 2/3 da maioria para substituir uma ordem executiva.

Não é normal para o Congresso para atacar uma EO a lidar com a política externa, defesa nacional, ou a implementação e negociação de tratados, pois estas são competências atribuídas em grande parte ao presidente pela Constituição. As ordens executivas podem ser contestadas em tribunal. Estes desafios para a ordem executiva são que a Ordem se desvia "da intenção do Congresso" ou excede os poderes constitucionais do Presidente.

A crítica fundamental da Ordem Executiva é que um presidente poderia tomar decisões políticas importantes, sem qualquer Congresso, exercendo sua autoridade paracriar a OE.

"(Um alívio suficiente seria dado aos 12 milhões de imigrantes ilegais neste país até que uma abrangente reforma da imigração é finalmente transformada em lei"

CONCLUSÃO

Se o Congresso se encontra incapaz ou não tem desejo de passar a Reforma Abrangente da Imigração deste ano, o presidente pode emitir seções de seu conteúdo como uma série de ordens executivas. Desta forma proporcionando assim um alívio imediato às seções das leis de imigração que estão a criar mais problemas. Os conservadores do Senado teriam dificuldade em bloquear essas ordens, como uma maioria de 2/3 teria de votar contra, o que é improvável. As ordens executivas poderiam ser contestadasno tribunal, mas isso tomaria um tempo muito longo, e, entretanto, (alívio suficiente seria dado aos 12 milhões de imigrantes ilegais neste país até que uma reformaabrangente da lei de imigração seja finalmentetransformada em lei).

Leia mais

Videos